Procedimento Operacional:

Instruções aos Pilotos

As seguintes instruções são aplicáveis a todos os pilotos da empresa. É de responsabilidade individual de cada piloto a ciência das instruções prevista no MGSO da empresa, bem como os itens detalhados:

  1. Os pilotos tem sua autoridade reservada a bordo da aeronave, bem como a responsabilidade em manter a segurança das operações durante o voo de pulverização, traslado e quaisquer outro deslocamento da aeronave.

  2. Os pilotos tem a ciência e o dever dos cumprimentos das regras gerais de operação de aeronave civil, de acordo com suas responsabilidades e diretrizes dispostas na sua formação de piloto comercial, conforme o RBAC 61.

  3. Os pilotos realizarão um briefing e um debriefing toda vez que realizar um voo de pulverização, devendo constatar a área detalhada, manobras realizadas e eventuais anormalidades.

  4. Em momento algum durante o voo, mesmo que inaplicável para operação aeroagrícolas, o piloto poderá deixar seu posto de pilotagem, ou deixar os comandos livres sem a devida atenção necessária.

  5. É obrigatório a presença dos pilotos nos treinamentos e palestras oferecidos pela empresa, através de seu GSO.

  6. Deve-se atentar com operações em conjunto com outras aeronaves a distancia limite de segurança, evitando qualquer anormalidade, conforme instruída nas palestras da empresa.

  7. As altitudes mínimas de segurança para o voo quando não estiver em área de pulverização, são as mesmas estabelecidas nos CBA.

  8. Deve o piloto estar atento a qualquer restrição e limitação prevista na aeronave, no controle de tráfego aéreo, bem como na meteorologia, manutenção, regulamentos de tráfego aéreo e/ou qualquer outra ação que coloque em risco a segurança de sua aeronave conforme instruções discutidas nas palestras e treinamentos oferecidos pela empresa.

  9. Deve o piloto estar atento e ciente das normas que estabelece os requisitos operativos obrigatórios de sua categoria pertinente (aeroagrícola), dos itens relacionados aos: equipamentos, instrumentos, certificados, e/ou qualquer outra ação que coloque em risco a segurança de sua aeronave conforme instruções discutidas nas palestras e treinamentos oferecidos pela empresa.

  10. Deve o piloto estar atento e ciente das normas que estabelece os requisitos operativos obrigatórios de sua categoria pertinente (aeroagrícola), dos itens relacionados as: manutenções, reparos, modificações, e/ou qualquer outra ação que coloque em risco a segurança de sua aeronave conforme instruções discutidas nas palestras e treinamentos oferecidos pela empresa.

  11. É dever e responsabilidade do piloto todas as vezes que iniciar um voo de pulverização, estar com os trajes de segurança obrigatórios, previstos no RBAC 137.

  12. Solicitamos a todos os pilotos que realizem de forma semestralmente o preenchimento do Formulário aos CMTE, disponibilizado em nossa biblioteca eletrônica (www.pilotoaero.com), através deste formulário o GSO da empresa conseguirá alimentar as informações necessárias para mitigar as ocorrências relacionadas as operações da empresa.

website ©2012 por Cello Hold. Todos os direitos reservados.

Alameda Ezequiel Mantoanelli, 375, Indaiatuba/SP. CEP: 13.340-350 atendimento@cello.com